Fim de férias: saiba como colocar a matéria em dia sem prejudicar o descanso

Foco deve ser estudar o conteúdo acumulado, revisar o primeiro semestre e descansar bastante


Imagem: iStock
O mês de julho vai dando o seu adeus, e a volta à rotina das aulas está cada dia mais perto. O fim das férias é o início da reta final de estudos para o vestibular e o Enem, o que significa… alerta! Já é hora de começar um planejamento adequado para manter os estudos em dia até o fim do ano e garantir o máximo de aproveitamento nas provas.

 

Para começar o próximo semestre zerado e com todo o gás necessário para enfrentar os meses até novembro, a melhor estratégia é usar o tempo restante de férias para descansar e, também, retomar o ritmo. Para o professor Alexandre Linares, do cursinho Maximize, “quem está na contagem regressiva para o Enem não pode dar ao luxo de desligar, então o estudo nas férias deve contar com um bom planejamento de atividades e ações”.

 

Por isso, o foco nesse momento deve ser em três atividades: recuperar a matéria atrasada, revisar brevemente os tópicos do primeiro semestre e, claro, descansar.

Criando o cronograma

Com poucos dias de férias ainda sobrando, é preciso antes de tudo montar um cronograma de estudos. Neste cronograma, liste os dias que faltam até o início das aulas e reserve um período de cada dia para os estudos, observando as seguintes exigências:

1. Em férias, nada de se sobrecarregar. O recomendável é estudar somente pela manhã ou somente pela tarde, por no máximo três horas diárias.
2. Separe as matérias em dois tópicos: as que estão atrasadas e as que são para revisar. É um bom momento para checar as matérias que mais caem no Enem

, assim você poderá elaborar uma lista de tópicos importantes para relembrar.

3. Não é a hora para querer abraçar o mundo e estudar todo o conteúdo do primeiro semestre de uma vez. Foque nas suas dificuldades e nos tópicos mais importantes.

As horas de estudo devem ser divididas, como sempre, em leitura de teoria e exercícios. Separe algum dos dias para fazer um simulado. “O simulado pode ajudar a produzir o seu ‘mapa da mina’ de estudo: selecionar e avaliar quais erros estão sendo cometidos e descobrir suas principais fraquezas em cada matéria“, explica o professor Linares.

Quanto à matéria atrasada, lembre-se que o tempo é curto e o importante é manter as prioridades atendidas. Se você tiver muita matéria para colocar em dia, separe-as por relevância e grau de dificuldade e vá deixando o que for menos importante para o final. As matérias mais complexas, em disciplinas que você tem mais dificuldade, devem ser mais relevantes para este momento.

Parte fundamental do estudo nas férias é o próprio descanso. “As férias são o momento para cortar o estresse do primeiro semestre, com programações de passeio que estejam relacionadas ao estudo: visitas a museus, teatros, exposições”, explica Alexandre Linares. Uma opção é reunir os amigos que também estiverem estudando para as provas e combinar passeios conjuntos, de modo a formar um grupo de debate e observação.

Mas, sem dúvidas, a opção mais fácil é usar as férias para ler livros e maratonar uma grande quantidade de filmes e séries que você não tem tempo de assistir durante o semestre de estudos, mas que podem ajudar nos estudos. Não estamos falando de nada muito pesado nem chato: vários filmes atuais oferecem, além de visão histórica e crítica social, um bom contexto que contribui para a construção do seu repertório pessoal de conhecimentos – uma ótima para a redação.

 


“Quando você começa a assistir uma nova série no Netflix” (Giphy)

Por isso, divida seu tempo livre em três: o tempo para sair com os amigos ou ficar de bobeira, o tempo para ir a exposições e atividades culturais, e o tempo para se dedicar a filmes, livros e séries. Cada tarefa é importante para o momento e deve ter tanta importância quanto as outras.

 

Durante os passeios culturais, uma opção é fazer dele um objeto de aprendizado: “A programação não pode ser aleatória nem descompromissada. Deve ser um ‘passeio investigativo’, onde aquilo que se vê deve virar objeto de investigação e conhecimento. Ter uma caderneta é uma boa para anotar observações, mas também dá para usar o celular, produzindo vídeos curtos para registrar dúvidas e depois retomá-las em casa”, recomenda o professor Linares. Aí está um uso bacana para o Snapchat!

7 dicas de estudo para o fim das férias
1. Crie uma rotina para si mesmo: tenha hora para acordar, estudar, descansar, se alimentar
2. Não fique o dia inteiro estudando nem se desligue totalmente do vestibular: equilíbrio é a palavra-chave. Não adianta aumentar a carga de estudo nas férias e voltar mais cansado para o segundo semestre
3. Focar a matéria na qual se tem mais dificuldade é uma boa pedida, mas não fique apenas nela: é preciso rever o conteúdo das demais disciplinas
4. Não é produtivo estudar por horas seguidas apenas uma matéria. Alterne o conteúdo de hora em hora
5. Concilie diversão e estudo: veja filmes cujo conteúdo se relacione com história, geografia, literatura. Também dá pra estudar vendo peças de teatro, exposições de arte, lendo história em quadrinhos e assistindo à televisão
6. Aproveite as férias para dormir um pouco mais que na época de aulas, mas lembre que oito horas já são suficientes para repor as energias
7. Praticar atividades físicas é importante tanto nas férias quanto no período normal de aulas. Aproveite as férias para praticá-las com mais frequência, duas ou três vezes por semana

 

Evitando a procrastinação

Nada pede mais a preguiça do que um tempo de férias. Mas quem está na reta para o Enem e outros vestibulares deve saber que não há descanso total neste ano, ou seja, não há possibilidade de se desligar completamente dos estudos. Durante o período de férias, as possibilidades de você acabar procrastinando e deixando a matéria acumulada para lá é grande, o que vai exigir uma grande força de vontade para combater os “instintos” da procrastinação.

É aí que entra o velho mantra da disciplina e organização. Não há como fugir: para se dar bem no vestibular, é vital elaborar metas e uma programação adequada de estudos que permita que todos os conteúdos sejam estudados e não haja acúmulo. “Para não se escravizar diante de montanhas de estudo para o Enem, é preciso ter disciplina, daí a importância de um plano de estudos. Não adianta estressar, nem ficar nervoso com a contagem regressiva para a prova. O tempo é a matéria-prima para encarar o Enem e deve ser usado a nosso favor, criando uma hierarquia de prioridades na seleção das matérias”, recomenda Alexandre Linares.