Calendário

O tempo pode ser organizado em unidades (ano, mês etc.) relacionadas aos interesses de uma sociedade. Em função disso surgiram os calendários que consistem em uma criação sociocultural ligada a diversos fatores como: observações astronômicas, crenças religiosas, valores sociais etc. Todo calendário tem uma história, aliás, muitas histórias.

Diferentes povos criaram calendários, de acordo com seus conhecimentos, critérios e necessidades. Supõe se que o primeiro calendário foi criado entre 3000 e 2000 anos antes do nascimento de Cristo, provavelmente pelos chineses, egípcios ou sumérios, com base na observação do Sol e da Lua.

Calendário = sistema que estabelece um modo de contar o tempo. O termo deriva do latim calendarium, (“livro de contas” do qual constavam os juros dos empréstimos, pagos nas calendae, que correspondiam ao primeiro dia dos meses romanos).

Atualmente, o calendário cristão é o mais utilizado no mundo, embora nem todos os povos o tenham adotado. Muçulmanos e judeus, por exemplo, têm sistema próprio de demarcação de tempo.

 

CALENDÁRIO CRISTÃO

Os povos cristãos têm como marco básico da contagem do tempo o nascimento de Cristo.

Em 532, um monge, Dionisio, o Pequeno (…), constatando a impotência dos cristãos quanto a entenderem-se sobre a data da criação do mundo, propôs que se iniciasse a era cristã com o nascimento de Cristo, que ele situava no ano 753 de Roma. A sua proposta foi adotada por toda a cristandade e hoje a era cristã é a mais usada no mundo.

Segundo o calendário cristão, as datas anteriores ao nascimento de Cristo recebem a abreviatura a.C. (antes de Cristo); as datas posteriores podem vir acompanhadas ou não da abreviatura d.C. (depois de Cristo).

No calendário cristão (…), o ano fixado para o nascimento de Cristo foi considerado o ano 1 da era cristã e não o ano zero; possivelmente porque o conceito do zero ainda era pouco difundido na Europa Ocidental.

No século XVI, o papa Gregório XIII convocou uma comissão de astrônomos que promoveu ajustes no calendário cristão. O resultado ficou conhecido como reforma gregoriana, dando origem ao calendário que ainda hoje utilizamos. A reforma gregoriana foi posta em prática a partir de 1582.

Assim como outros calendários, o cristão agrupa o tempo em dias, semanas, meses e anos. Os períodos maiores podem ser agrupados de dez em dez anos (décadas), de cem em cem anos (séculos), de mil em mil anos (milênios).

O século é uma unidade de tempo muito utilizada nos estudos de história. Costuma-se indicar os séculos por algarismos romanos, uma tradição que vem da Roma antiga: século XV ,do ano 1401 ao ano 1500); século XXI (do ano 2001 ao 2100).

Um modo fácil de saber a que século pertence determinado ano é somar 1 ao número de centenas do ano. Por exemplo: no ano de 1997, o número de centenas é 19. Temos então:

1997 —>  19 + 1 = Século XX

Assim, 1997 pertence ao século XX. No entanto, quando um ano termina em 00, como o ano 2000, por exemplo, temos uma exceção à regra.

Nesse caso, o número de centenas indica o século. Veja:

2000 —> Século XX

Clique aqui para baixar o resumo .pdf

Clique para baixar o Mapa Mental

Clique para assistir a vídeo-aula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *