Periodização Histórica

Para organizar a compreensão dos estudos históricos, os pesquisadores elaboram periodizações visando ordenar os acontecimentos e temas analisados.

Como escreveu Jacques Le Goff, não há história imóvel e a história também não é pura mudança, mas sim o estudo das mudanças significativas. A periodização é o principal instrumento Inteligibilidade (qualidade do que é inteligível, que pode ser compreendido) das mudanças significativas.

Concebidas pelos historiadores, as periodizações históricas estão de acordo com o ponto de vista de quem as elaborou. Vejamos uma periodização muito utilizada e tradicional, que divide a história em granes períodos:

  • Pré-história — do surgimento do ser humano até o aparecimento da escrita (c. 4000 a.C.);
  • Idade Antiga ou Antiguidade — do aparecimento da escrita até a queda do Império Romano do Ocidente (476 d.C.);
  • Idade Média — da queda do Império Romano do Ocidente até a tomada de Constantinopla pelos turcos (1453);
  • Idade Moderna — da tomada de Constantinopla até a Revolução Francesa (tomada da Bastilha, 1789);
  • Idade Contemporânea — da Revolução Francesa até os dias atuais.

Essa divisão foi feita por historiadores europeus que, no século XIX, davam maior importância às fontes escritas e aos fatos políticos. Por isso, todo o período anterior à invenção da escrita foi chamado de Pré-história. E, por serem europeus, esses historiadores estabeleceram como marcos divisórios das “idades” da história acontecimentos ocorridos na Europa.

 

PRÉ-HISTÓRIA

A Pré-história é o longo período do passado que abrange desde o surgimento do “homem primitivo” (hominídeo) até a invenção da escrita. O termo tem sido criticado, pois o ser humano, desde seu aparecimento no planeta, é um ser histórico, mesmo que não tenha utilizado a escrita em algum período.

Outras expressões foram propostas para denominar os povos sem escrita, como povo pré-letrado ou povo ágrafo (sem escrita). O uso dessas expressões, entretanto, não se generalizou.

Como o uso do termo Pré-história é consagrado mundialmente, podemos empregá-lo, mas cientes de que esse período também faz parte da história.

 

Periodização tradicional da história

A periodização tradicional da história (Idade Antiga, Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea) é muito criticada por vários motivos, entre eles o fato de ter sido elaborada com base no estudo de apenas algumas regiões da Europa, do Oriente Médio e do norte da África. Portanto, não pode ser generalizada a todas as sociedades do mundo. Além disso, ela adota certos fatos como marcos dos períodos, dando a errônea impressão de que as mudanças históricas — que, em geral, fazem parte de um processo longo e gradativo — ocorrem repentinamente.

Clique aqui para baixar o resumo .pdf

Clique para baixar o Mapa Mental

Clique para assistir a vídeo-aula

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *