Exercícios

Exercícios

Questão 1

(UNICAMP) A poluição nos grandes centros urbanos, como Curitiba, pode causar determinadas doenças, como rinite, alergias, asma, problemas de pele e cabelo. Pessoas sensíveis às partículas em suspensão no ar podem desenvolver tais doenças ao respirar o ar poluído dos grandes centros.

Durante todo o ano, essas doenças podem acontecer, mas é no inverno que ficam mais acentuadas.

(Adaptado de Jornal do Estado, Curitiba, 01/06/2009.)

Durante o inverno, em Curitiba, é comum a ação da Massa Polar Atlântica, que facilita a ocorrência de problemas respiratórios, pois

a) aumenta a umidade relativa do ar e promove a inversão térmica, o que provoca a concentração de poluentes nas partes altas da cidade.

b) aumenta a umidade relativa do ar e promove a inversão térmica, o que provoca a concentração de poluentes próximos à superfície do solo.

c) reduz a umidade relativa do ar e promove um maior aquecimento da parte central da cidade se comparado à periferia, concentrando poluentes.

d) reduz a umidade relativa do ar e promove a inversão térmica, o que provoca a concentração de poluentes próximos à superfície do solo.

Questão 2

Assinale apenas a alternativa que apresenta características referentes ao fenômeno inversão térmica:

a) Fenômeno climático que ocorre nos centros urbanos, principalmente em cidades com elevado grau de urbanização, nas quais as temperaturas aumentam bastante se comparadas às das zonas rurais.

b) Fenômeno no qual há aumento da temperatura do planeta em decorrência da retenção do calor por alguns gases presentes na atmosfera.

c) Fenômeno atmosférico comum nos centros urbanos industrializados no qual o ar frio é impedido de circular por uma camada de ar quente, alterando as temperaturas.

d) Fenômeno causado pela poluição atmosférica, principalmente em decorrência da queima de combustíveis fósseis, causando graves problemas ambientais e nas cidades.

RESPOSTAS

Questão 1

LETRA D

A atuação da massa de ar faz com que a umidade do ar seja reduzida, visto que, no inverno, diminui-se o período de chuvas. Nessa época do ano, é comum a ocorrência do fenômeno atmosférico conhecido como inversão térmica, que, em decorrência da maior perda de calor e da diminuição dos índices pluviométricos, dificulta a dispersão dos gases poluentes que ficam retidos próximos à superfície.

Questão 2

LETRA C

A alternativa a corresponde ao fenômeno conhecido como ilhas de calor.

A alternativa b corresponde ao efeito estufa.

A alternativa d corresponde às chuvas ácidas.

Destruição da Camada de Ozônio

Ozônio é um gás composto por moléculas com três átomos de oxigênio (O3). Esse gás encontra-se distribuído na troposfera, que concentra cerca de 10% de todo o Ozônio, e na estratosfera, que acumula a maior parte desse gás, cerca de 90%.

O Ozônio encontrado na troposfera origina-se a partir de poluentes lançados na camada inferior da atmosfera e é considerado pelos cientistas como o “ozônio mau”, em razão dos seus efeitos negativos quando em contato com plantas e animais. O contato com esse gás pode afetar o crescimento das plantas, o que pode diminuir a produtividade agrícola, gerar prejuízos econômicos e impactar a quantidade de alimentos disponíveis. Além disso, provoca irritação nos olhos e vias respiratórias do ser humano e outros animais, causando o comprometimento do sistema respiratório e intensificando problemas cardiovasculares.

Embora seja muito nocivo em contato direto com os seres vivos, o Ozônio presente na estratosfera exerce um papel fundamental para a manutenção da vida no planeta Terra. Distribuído em uma fina e instável camada na estratosfera, entre 25 e 30 quilômetros do planeta Terra, esse gás absorve mais de 95% dos perigosos raios ultravioletas emitidos pelo sol, protegendo a Terra de uma superexposição a esses raios, o que poderia afetar toda a dinâmica ambiental do planeta.

A partir da década de 1970, tornou-se bastante difundido em meio acadêmico e na mídia que a quantidade desse gás na estratosfera estaria diminuindo em algumas partes do planeta, gerando “buracos” na camada de ozônio. Assim, se nada for feito, essa diminuição da quantidade de O3 poderá ocasionar a destruição total dessa camada tão vital para o nosso planeta. De acordo com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)1, a concentração desse gás já está 3% mais baixa, o que resulta em um buraco de 31 milhões de quilômetros quadrados (15% da superfície terrestre) na região da Antártica no final do inverno e durante toda a primavera.

Essa diminuição da concentração de O3 na atmosfera tem provocado o aumento da quantidade de raios ultravioleta que chegam à superfície terrestre, provocando diversos impactos para o meio ambiente do mundo inteiro. Entre os impactos, destacam-se:

  • Impactos sobre o organismo humano1envelhecimento precoce, mutação genética, problemas no sistema imunológico e câncer de pele.
  • Impacto sobre as plantas: A grande quantidade de raios ultravioleta pode comprometer o processo de fotossíntese, impactando o sistema nutritivo das plantas e o seu crescimento.
  • Redução de espécies1A superexposição de raios UV pode prejudicar o desenvolvimento de diversas espécies marítimas, como peixes, camarões, caranguejos e fitoplanctons (base da cadeia alimentar marítima).Além disso, o contato com essa radiação pode causar diversas mutações genéticas, alterando totalmente o DNA dos seres vivos.
  • Contribuição para o aquecimento global: A diminuição da camada de Ozônio e o aumento da quantidade de raios UV podem contribuir para a aceleração do aquecimento global.

A maioria dos cientistas atribuiu como principal causa para a destruição da camada de Ozônio as atividades realizadas pelo ser humano desde a Revolução Industrial, que lançaram uma enorme quantidade de CFCs e halogênios na atmosfera. Muito encontrados em espumas, aparelhos de refrigeração e extintores, os CFCs e halogênios, em contato com o Ozônio, provocam a degradação das moléculas desse gás. Isso acontece porque as moléculas de Ozônio ligam-se aos átomos dessas substâncias, formando outro elemento, ocorrência que ocasiona a diminuição da concentração desse gás na atmosfera.

Em virtude dessa constatação, vários países adotaram medidas visando à diminuição do uso dos CFCs e halogênios. Em 1987, diversos países assinaram o Protocolo de Montreal, no qual se comprometeram a erradicar o uso de substâncias que provocassem algum dano à Camada de Ozônio e a implantar uma série de medidas para proteção dessa importante camada da atmosfera. Atualmente esse protocolo é adotado por 197 países, sendo o único acordo multilateral com adoção universal do mundo. O Protocolo de Montreal possui mais países adeptos que o Protocolo de Quioto, que visava à implantação de uma série de medidas para a diminuição da emissão de gases que aceleram o efeito estufa.

Alguns cientistas acreditam que a diminuição de O3 na atmosfera é um processo natural do planeta, portanto, que não sofreria influência do homem, já que, embora os CFCs e halogênios tenham a capacidade de degradar o Ozônio, raramente atingiriam a estratosfera. Para eles, a proibição do uso dessas substâncias tem razões econômicas, já que os CFCs e halogênios não possuíam patentes e os produtos que substituíram essas substâncias são, muitas vezes, mais caros.

Assim, embora as causas para a destruição da camada de Ozônio ainda sejam contraditórias, sabe-se que a concentração desse gás está diminuindo e que essa diminuição tem aumentado a quantidade de raios UV na superfície terrestre, fato que tem causado diversos impactos para a vida no planeta Terra. Assim, é fundamental que o ser humano adote medidas para evitar que essa camada seja destruída e para se proteger dos efeitos de sua destruição. Entre as principais medidas sugeridas para evitar os efeitos da radiação ultravioleta para os seres humanos, estão:

  • Evitar a exposição ao Sol no período entre 10 e 16 horas, horário em que a quantidade de raios ultravioleta é maior;
  • Utilizar protetor solar durante todo o dia;
  • Fazer uso de óculos, chapéus e guarda-sóis.
  • Evitar práticas de bronzeamento.

Exercícios

1 – (PUC-PR) A humanidade, após a Revolução Industrial, vem interferindo nos ecossistemas de maneira agressiva, provocando o aumento do efeito estufa e a destruição da camada de ozônio.

Como consequências dessas duas alterações, citam-se as seguintes:

I. Aumento da temperatura média do nosso planeta e da penetração de raios ultravioleta;

II. Degelo das regiões polares e aumento do número de câncer de pele;

III. Eutrofização das águas fluviais e aumento das micoses de pele.

Estão corretas:

a) somente I e II.

b) somente II.

c) somente I e III.

d) somente II e III.

e) todas.

2 – A destruição da camada de ozônio provoca o aumento da entrada dos raios ultravioleta na superfície terrestre em virtude da diminuição da concentração de ozônio (O³). São vários os impactos causados por essa alteração. Entre as proposições a seguir, assinale a alternativa incorreta:

a) O aumento da quantidade de raios ultravioleta pode contribuir para o aumento do aquecimento global.

b) A exposição aos raios ultravioleta pode provocar a redução de espécies de animais, bem como alterar o DNA desses seres vivos.

c) O aumento dos raios ultravioleta que atingem a superfície pode provocar o envelhecimento precoce e câncer de pele.

d) A grande quantidade de raios ultravioleta não prejudica o desenvolvimento das plantas, visto que não está associada a alterações no processo de fotossíntese.

RESPOSTAS:

1 – LETRA A

I – Correta

II – Correta

III – Eutrofização das águas fluviais significa modificação de características biológicas, físicas e químicas. Pode ter causas naturais ou ser provocada pelo homem, sendo assim, não é uma consequência do aumento do efeito estufa e da destruição da camada de ozônio. Além disso, micoses na pele também não são causadas por esses fatores.

2 – LETRA D

O aumento da quantidade de raios ultravioleta e a diminuição da camada de ozônio afetam o meio ambiente, bem como o desenvolvimento das vegetações, prejudicando o processo de fotossíntese e impactando o sistema nutritivo das plantas. O aumento da incidência dos raios UV lesiona as estruturas biológicas dos vegetais, como o DNA, alterando então o sistema fotossintético deles.

Exercícios

1 – Há uma grande discussão atualmente em voga para que as sociedades e os governos se conscientizem e diminuam a emissão dos gases do efeito estufa. Entre as práticas a seguir mencionadas, assinale aquela que pode ser considerada totalmente limpa no sentido de não emitir poluentes na atmosfera:

a) Produção de energia em hidroelétricas

b) Utilização de fertilizantes na agricultura

c) Atividade pecuária

d) Construção de aterros sanitários

e) Atuação de usinas nucleares de energia

2 – (ENEM) “Discutindo sobre a intensificação do efeito estufa, Francisco Mendonça afirmava:

A conservação do calor na Troposfera ocorre a partir da perda de energia da superfície terrestre. Esta, ao se resfriar, emite para a atmosfera radiações de ondas longas equivalentes à faixa do infravermelho, caracterizadas como calor sensível, que são retidas pelos gases de efeito estufa. O dióxido de carbono (CO2) é o principal gás responsável em reter o calor na baixa atmosfera, mas o vapor d’água, o metano, a amônia, o óxido nitroso, o ozônio, e o clorofluorcarbono (conhecido como CFC, que destrói a camada de ozônio na Tropopausa/Estratosfera) também são gases causadores do efeito estufa. Além desses gases, a nebulosidade e o material particulado em suspensão no ar são importantes contribuintes no processo de aquecimento da Troposfera, uma vez que também atuam como barreira à livre passagem das radiações infravermelhas emitidas pela superfície”.

(Climatologia, Ed. Oficina de Textos.)

A partir da leitura do texto, conclui-se que

a) as ondas que causam o efeito estufa se constituem principalmente de curta frequência, como os raios X.

b) apenas o gás carbônico é capaz de reter calor suficiente para gerar o efeito estufa.

c) o efeito estufa envolve apenas as camadas externas que compõem a atmosfera.

d) gases lançados na atmosfera por atividades humanas, como indústrias, podem interferir no recrudescimento do efeito estufa.

e) o vapor de água permite a livre passagem dos raios infravermelhos, o que causa sua livre reflexão para o espaço exterior.

RESPOSTAS:

1 – a) Falso – As hidroelétricas emitem certas quantidades de gases poluentes, sobretudo através da decomposição de material orgânico nas áreas invadidas pelas águas das barragens.

b) Falso – A utilização de fertilizantes na agricultura contribui para a liberação de óxido nitroso (N2O).

c) Falso – A pecuária também contribui para a emissão de gases-estufa, sobretudo o metano, através do material orgânico processado pelo sistema digestivo de alguns animais.

d) Falso – Os aterros sanitários são grandes emissores de gás metano.

e) Verdadeiro – As usinas nucleares, apesar de muito questionadas por outros tipos de problemas ambientais, não emitem gases-estufa na atmosfera. 

2 – O texto apresentado no enunciado da questão apresenta uma reflexão sobre a emissão dos gases responsáveis pela intensificação do efeito estufa. Dentre as atividades humanas responsáveis, é possível citar vários exemplos, como a agropecuária, as indústrias e a queima de combustíveis, além da redução da vegetação.

Alternativa correta: letra D