Fontes Históricas

A compreensão das relações entre passado e presente é uma das mais intrigantes questões da história. O historiador vive o seu tempo; por isso, a história que ele escreve está ligada à história que ele vive. Problemas e alegrias, lutas e sonhos surgem na reconstrução da vida humana que ele elabora. Reconstrução essa que depende de uma série de concepções, escolhas e “recortes” feitos pelo historiador: desde a definição do objeto de trabalho (tema, método e projeto da pesquisa) até a seleção das fontes históricas que interessam à pesquisa.

Em suas pesquisas, os historiadores utilizam variadas fontes, das quais podem obter informações, pistas sobre ideias e realizações dos seres humanos no transcorrer do tempo. Essas fontes históricas são múltiplas; podem ser, por exemplo, escritas ou não-escritas.

As fontes escritas são registros em forma de inscrições, cartas, letras de canções, livros, jornais, revistas e documentos públicos. As fontes não-escritas são registros da atividade humana que utilizam linguagens diferentes da escrita, tais como pinturas, esculturas, vestimentas, armas, músicas, discos fonográficos, filmes, fotografias, utensílios.

Outro exemplo de fonte histórica não-escrita é o depoimento de pessoas sobre aspectos da vida social e individual. Esses depoimentos, que podem ser colhidos a partir de entrevistas gravadas pelo próprio historiador, servem para registrar a memória (pessoal e coletiva) e ampliar a compreensão de um passado recente ou da história que se está construindo no presente. É o que se chama de história oral.

Até recentemente, os historiadores utilizavam principalmente as fontes escritas para fundamentar as pesquisas históricas. Hoje, devido ao desenvolvimento de novas tecnologias, como a televisão, o rádio, o cinema, além do computador, os historiadores podem consultar grande de fontes não-escritas.

Clique aqui para baixar o resumo .pdf

Clique para baixar o Mapa Mental

Clique para assistir a vídeo-aula

Leave a Comment