fbpx

Alienação Parental

Durante todos esses dias de lives, nós vimos como iniciar uma Introdução, argumentar no Desenvolvimento e elaborar uma proposta de intervenção na Conclusão. Portanto, hoje, você desenvolverá sua redação de acordo com os temas que foram abordados durante a semana!

Vou colocar textos motivadores aqui. Após isso, tentem elaborar a Redação de vocês.

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija texto dissertativo-argumentativo em modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema “Os efeitos da Alienação Parental no Brasil” apresentando proposta de intervenção. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO I

Pandemia afeta guarda compartilhada de filhos e acordo vira essencial

Assim que a pandemia da Covid-19 ‘estourou’ e medidas como o isolamento social passaram a prevalecer, a rotina da pequena Sophie, de apenas 6 anos, mudou completamente. Mas não foram só as férias escolares antecipadas uma novidade. Acostumada a ir para a casa do pai aos finais de semana, ela teve que se readaptar e achar outras maneiras de se comunicar com o genitor. Ele e a mãe, que hoje compartilham a guarda de Sophie, decidiram que o vai e vem poderia expor a filha – e decidiram que até o pior passar, ela vai ficar permanentemente com a mãe.

Para a psicóloga Fernanda Hermínia, idealizadora do Atuando em Famílias, programa interdisciplinar em psicologia e direitos, os pais da Sophie conduziram a situação da melhor maneira possível. “Em sempre bato nessa tecla de diálogo entre os pais ou guardiões da criança. Diálogo é ouvir a outra parte, ponderar e buscar opções que sejam melhores para as crianças. Muitas pessoas não fazem isso, acham que uma sentença jurídica resolve, mas isso não resolve vida afetiva de ninguém e são as crianças que ficam nesse meio”, analisa.

TEXTO II

Como fica a guarda compartilhada dos filhos durante o distanciamento social?

A medida que o número de infectados pelo novo coronavírus continua crescendo exponencialmente em todo o país, o distanciamento social para combater a proliferação da pandemia continua necessário. A quarentena determinada para proteger a população da doença provocou grandes mudanças na rotina das famílias.

Uma delas é sobre a questão da guarda compartilhada dos filhos de casais separados. Normalmente, as crianças costumam passar parte da semana com o pai e outra com a mãe, além de revezar sábados e domingos na casa de um e de outro.

Para o advogado Eduardo Corrêa, é importante colocar em primeiro lugar o bem estar das crianças e ter bom senso na hora do diálogo para mudanças que enquadrem a proteção dos filhos e a convivência com os pais.

“É necessário que os pais tenham bom senso para fazer as devidas adaptações no período de pandemia, porque o deslocamento dos filhos, o trânsito dos filhos não pode mais ser feito da mesma forma que se fazia antes, na possibilidade de um pai que pegava um filho três vezes por semana na escola e ficava consigo uma tarde. Com a pandemia isso tem que ter uma adaptação. Inclusive, porque as escolas fecharam”, ressalta.